sexta-feira, 17 de maio de 2013

Prefeitura de Piatã corta árvores condenadas no centro da cidade


A Secretaria Municipal de Meio Ambiente embasada no Parecer nº 02/2013 do tecnólogo em gestão ambiental, Edney Souza Figueredo e do engenheiro agrônomo, Rodolfo Costa Rodrigues e a indicação do vereador Cleber Benevolo, votada e aprovada na Câmara Municipal por unanimidade, cortou 5 árvores condenadas no centro da cidade de Piatã.
As espécies foram identificadas pelos profissionais como Melia Azedarach, da família das meliaceae, nativa do sul da Ásia, não sendo atrativo da para a fauna local, apresentando inconveniência com a fiação elétrica e transportes de carga, e ainda risco para a população, uma vê que sua raízes tem crescimento agressivo e já havia comprometido a estrutura de casas ao redor, alem de ser arvores qeue possuem porte médio de 40 metros de altura,de baixa densidade, podendo facilmente aprodecer , quebrar e se desprender do tronco, colocando em risco os cidadãos, moradores e transeuntes dos arredores da copa da arvore.
O levantamento foi pedido pela Prefeitura Municipal atendendo a inúmeros, que depois de verificada a necessidade autorizou a extirpação das arvores, se comprometendo que por cada arvore extirpada será plantada pelo menos 15 novas arvores em locais adequado à arboricação.
A administração municipal informou que, a partir "do acompanhamento realizado pela Secretaria de Turismo e Meio Ambiente, analisou caso a caso" e constatou a necessidade de corte ou remoção de dezenas de arvores.
No total, foram cortadas 5 arvores adultas e de grande porte extensão da Avenida Castro Alves, outras 6 arvores serão cortadas no distrito de Inubia.
Segundo o levantamento, alem das árvores terem suas copas muito próximas aos fios de eletricidade e residências, também tem organismos que se alimentam da madeira delas.
Na tarde o último dia 29 de abril de 2013, as crianças da escola Nossa Senhora de Guadalupe deram início à jornada paisagística em Piatã. Com seus olhares curiosos e sob a orientação do agrônomo Rodolfo Moreno, elas plantaram (na praça Isidro Viana), mudas originadas da mata atlântica que estão totalmente adaptadas as condições climáticas da Chapada Diamantina. Dia 30 de abril foi a vez dos alunos da escola Arlete Magalhães plantarem outras mudas na Praça Castro Alves na altura da escola e nas proximidades do fórum

Nenhum comentário:

Postar um comentário