segunda-feira, 8 de maio de 2017

Câmara de Piatã realiza nova eleição para composição da mesa diretora


Depois de muita turbulência, o que ficará marcada na história do parlamento piataense, finalmente a Câmara de Vereadores de Piatã teve sua mesa diretora recomposta para o biênio 2017/2018. Na sessão ordinária do dia 14, foi realizada a eleição para recomposição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Piatã, preenchendo os cargos de vice-presidente, 1º secretário e 2º secretário, que haviam ficado vagos desde a renúncia dos seus titulares, todos da base situacionista.  Três vereadores da oposição foram eleitos para recompor a mesa diretora, sendo eles: Ronaldo Souza (Rone) - Vice-Presidente, Manoel Miron Matos (Mironzinho) - 1º Secretário e Jilson Araújo - 2º Secretário. Eles se juntam ao Presidente Beto Bahia, que permaneceu no cargo após a debandada dos vereadores de situação. Com isto, a Mesa Diretora foi recomposta e a situação está normalizada, estando a Câmara de Piatã desempenhando normalmente suas funções legislativas. 
O fato teve grande repercussão politica regional, tendo em vista que esse foi um caso inédito e, que o vereador Beto Bahia foi eleito pela situação e, apesar de todos os fatos ocorridos, ainda continua na base do governo municipal.  “Sou há 16 anos, o presidente do partido que elegeu o prefeito, o PTB, nunca tive um pequeno atrito com o prefeito, tive sim, uma falta de entendimento com os colegas vereadores e o presidente do PDT, que participou de nossa coligação, portanto não tenho motivos para deixar de apoiar o prefeito, enquanto a uma eleição futura, vejamos o que será melhor para o nosso município e para o nosso povo, mas uma coisa é certa, o PTB faz parte da história política de Piatã e, por isso, não abrimos mão, na próxima eleição o PTB estará na chapa majoritária, defendemos isso”, destacou Beto Bahia. Aproveitou para elogiar e agradecer os seus colegas vereadores, Rony, Mironzinho e Gilson da Vereda, que apesar de oposicionistas se mostraram preocupados com o bom andamento do parlamento de Piatã, nenhuma condição foi imposta, a única reivindicação surgiu depois de eleitos, quando solicitaram ao presidente a contratação de uma assessoria advocatícia para os vereadores, o que de imediatamente foi concordado pelo Presidente, inclusive com a indicação de um nome, mas que depois de refletido, orientou que fosse contratado um profissional que resida na terra, pois assim estariam incentivando e valorizando as pessoas do município. 
PARA RELEMBRAR - Os Vereadores situacionistas Valmir Almeida, Pedro Paulo Macedo e Jailton da Bocaina, todos do PDT, renunciaram aos cargos de vice-presidente, 1º Secretário e 2º Secretário. Com isto, o presidente da Câmara, Beto Bahia permaneceu no cargo sozinho. O motivo que teria levado os vereadores a renunciarem aos cargos seria a mudança da empresa que presta serviço de assessoria contábil, o presidente fez a contratação de uma nova empresa, enquanto seus colegas defendiam a contratação de outra. Na época, o presidente Beto Bahia deu como uma das principais justificativas a economia de R$ 47 mil para os cofres públicos. Ainda segundo ele, na legislatura passada, além do contrato com a empresa, teve de celebrar mais dois contratos para complementação do serviço, que totalizaram R$ 101 mil, ao ano, mas que em 2017, uma única empresa foi contratada e fará todo o serviço pelo valor de R$ 54 mil, gerando uma economia de R$ 47 mil para os cofres públicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário